Roteiro de 12 dias no Peru: Lima, Cusco, Machu Picchu e Huaraz

Fazer um roteiro de 12 dias para uma primeira viagem ao Peru foi ter que deixar muitos lugares incríveis fora do roteiro. Quando comprei as passagens achei que seria tempo demais, mas descobri, logo no início do planejamento da viagem, que tem muito a se fazer no Peru. Escolhi, por isso, fazer o que considerei o básico (Lima, Cusco e Machu Picchu), e incluí Huaraz, talvez o lugar que eu mais queria conhecer no Peru.

Dia 1, Lima – Centro histórico

Cheguei em Lima de manhã, deixei meu mochilão no terminal da Movil Tours, empresa de ônibus com a qual iria pra Huaraz de noite, e fui conhecer o centro histórico de Lima. Todos os principais pontos turísticos que eu queria visitar eram próximos, por isso fiz tudo a pé.

Comecei conhecendo a Praça San Martín, onde troquei parte do dinheiro que levei em uma das várias casas de câmbio próximas.

plaza-san-martin-lima-peru

Segui até a Plaza de Armas de Lima, onde ficam os edifícios do Palácio de Governo, Palácio Arquiepiscopal, Palácio Municipal, a Catedral e o Clube da União.

plaza-de-armas-lima-peru

Depois, fui até a Basílica e Museu do Convento de San Francisco, e fiz a visita guiada de uma hora pelo museu.

Voltando até o terminal de ônibus, visitei a Casa da Literatura Peruana, e às 22h30 peguei o ônibus pra Huaraz.

Dia 2, Huaraz – Glaciar Pastoruri

Cheguei em Huaraz às 6h30. Fui até a Plaza de Armas pesquisar preços e reservar os passeios e o lugar onde me hospedaria, já que fui até lá sem reservas (pra quem vai por conta própria, é muito mais barato fechar tudo lá).

Fui até a Casa Hospedaje Ñaña, onde decidi me hospedar, e fechei os passeios lá mesmo.

Às 9h30 a van me buscou pra irmos até o Parque Nacional de Huascarán, onde fica o Glaciar Pastoruri. Antes de sair pro passeio eu tomei chá de coca e Sorojchi Pills, masquei folha de coca, tomei muita água, mas mesmo assim passei muito mal.

Não recomendo que se faça o que eu fiz, de chegar em Huaraz e sair pra fazer qualquer passeio no primeiro dia, especialmente se for uma trilha a 5.000 m de altitude.

É um passeio incrível, mas a recomendação é de só fazer esforços em altitude elevada depois de 48 horas. Eu resolvi arriscar, já que não tinha como ficar mais tempo em Huaraz pra fazer a aclimatação corretamente, mas passei muito mal (e vi muita gente passar mal também) por não estar acostumada com a altitude.

Dia 3, Huaraz – Laguna 69

A van me buscou às 5h30 pra irmos novamente ao Parque Nacional de Huascarán, dessa vez pra conhecer a Laguna 69. Foram 5h20 de trilha e algumas das paisagens mais lindas que já vi.

Depois da trilha, peguei o ônibus de volta pra Lima às 22h30. Repito que não recomendo que se faça isso, já que o aconselhável pra fazer as duas trilhas que fiz em Huaraz é ficar pelo menos 4 dias na cidade. Eu fiquei pouco mais de um dia e meio porque já tinha a passagem pra Cusco comprada quando decidi ir pra Huaraz, por isso é essencial se planejar bem se quiser ir pra lá.

Dia 4, Lima – Miraflores

Cheguei em Lima às 6h30, deixei minhas malas na recepção do hostel e fui caminhar por Miraflores.
Caminhei do Parque do Amor até o Larcomar, um shopping aberto muito famoso de Lima que fica na beira do mar. Lá eu comi no Tanta, restaurante do chef Gastón Acurio, dono de um dos 50 melhores restaurantes do mundo. As opções vegetarianas eram poucas, mas gostei da massa que pedi e da vista incrível.

Dia 5, Lima e Cusco

De manhã fui pro Parque Kennedy, que estava lotado por conta do jogo do Peru (fui ao Peru em junho, durante a Copa do Mundo!). Ia a Huaca Pucllana depois, mas o clima perto do Parque Kennedy estava tão legal que fiquei por lá tomando uma Cusqueña e secando acompanhando o jogo da Argentina. Às 16h15 fui de Lima pra Cusco.

Dia 6, Cusco

Passei muito mal pela altitude o dia inteiro e resolvi só descansar.

No final da tarde, fui pra Plaza de Armas de Cusco pesquisar preços e decidir se iria pra Machu Picchu no dia seguinte por conta própria ou se fecharia com uma agência. Acompanhei um pouco das comemorações do Inti Raymi, um festival religioso em homenagem a Inti, o Deus Sol, que estavam acontecendo na Plaza de Armas.

Dia 7, Águas Calientes

Saí de Cusco de manhã e cheguei em Águas Calientes, cidade base pra conhecer Machu Picchu, às 17h.

Machu-Picchu-Peru

Dia 8, Machu Picchu

Fui até Machu Picchu de manhã e, de lá, voltei direto pra Cusco.

Dia 9, Cusco – Maras e Moray

Conheci Moray, um antigo centro de experimentação agrícola inca. Depois, fui até as Salineras de Maras, onde se encontram mais de 5 mil bancos de sal.

Dia 10, Cusco – Vale Sagrado dos Incas

Comecei o dia em Pisac, outro centro de experimentação agrícola e de observação astronômica.

Pisac-Cusco-Peru
Depois, segui até o sítio arqueológico de Ollantaytambo, a única cidade da era inca no Peru que ainda é habitada.

Ollantaytambo-Cusco-Peru

E o dia acabou nas Ruínas de Chinchero.

Chinchero-Cusco-Peru

Dia 11, Cusco – Laguna Humantay

No meu último dia em Cusco fiz mais uma trilha, dessa vez já aclimatada, e conheci a Laguna Humantay.

Laguna-Humantay-Cusco-Peru.jpeg

Dia 12, Cusco e Lima

De manhã, passeei pela última vez pela Plaza de Armas de Cusco e comprei artesanato.

catedral-plaza-de-armas-cusco-peru.jpeg

Às 12h voltei pra Lima, e fui do aeroporto direto para o museu Larco. Almocei no restaurante do museu e depois fiz a visitação, que é incrível e conta muito da história peruana pré-colombiana.

Caminhei do museu até o shopping Plaza San Miguel, mais um shopping aberto em Lima, mas que não é turístico e caro como o Larcomar.
Às 22h30 foi meu voo de volta pro Brasil.

Foram 12 dias intensos e muito bem aproveitados. Considerando tudo o que eu queria fazer no Peru, foi pouco tempo, mas é sempre bom ter motivos pra voltar a um país que eu amei tanto conhecer.

Anúncios

8 comentários sobre “Roteiro de 12 dias no Peru: Lima, Cusco, Machu Picchu e Huaraz

  1. Legal esse post Barbara! Me fez lembrar quando eu estive lá no Peru com minha esposa em 2014. Lembro que o ônibus Peru Hop foi no hostel Pool Paradise Lima que nos hospedamos, nos pegou e começamos nossa viagem por Paracas, surfamos na areia em Huacachina, vimos as Linhas de Nazca, passamos por Puno e finalmente chegamos em Cuzco, visitamos Machu Picchu e ficamos no hostel Wild Rover.
    Quero voltar lá ano que vem para visitar a Montanha de 7 Cores.
    Abraços!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Que roteiro incrível o teu! Infelizmente não tive mais tempo, mas queria muito ver as Linhas de Nazca e conhecer Huacachina! Puno, Paracas e as ilhas flutuantes de Uros também estão no meu próximo roteiro do Peru, espero conseguir voltar em breve pra conhecer mais um pouquinho desse país incrível!
      Abraços!

      Curtir

  2. Boa tarde ! Obrigado por su roteiro oficial de sou persona… Ayuda a los amigos de Brasil ; para ir a los toures Huaraz y en Cusco siempre se toma tour no importa sólo transporte ….VC posso aclarar esta BEM … Si VC gusta ayudar me posso colocar también facemos directamente transporte y pacotes turisticos para BRASIL chmar +51950871026. Sou do Brasil … EU moro en Cusco .

    Curtir

    1. Dentro das cidades eu usei sempre táxi ou Uber, é barato e evita ter que usar o transporte público deles, que é bem caótico. Chegando em Lima eu chamei o Uber usando o wifi do aeroporto, e logo depois já comprei chip de internet. Como o preço dos táxis tem que ser sempre negociado (eles jogam o preço lá em cima mesmo! Chegando em Cusco os taxistas queriam 25 soles e no fim fechei por 10), eu sempre preferia chamar por aplicativos. Fiz um post bem completo falando sobre os transportes que peguei lá, se quiser conferir:

      View this post on Instagram

      [PASSAGENS E TRANSPORTE NO PERU] Eu comecei a planejar minha viagem comprando as passagens, porque, como quase sempre que viajo, comprei em uma promoção. Eu sempre tenho anotadas as datas em que posso viajar e fico acompanhando aplicativos que mostram promoções. Tenho uma lista de lugares que mais quero conhecer e os melhores meses pra visitar cada um (onde coincidentemente só incluí o Peru 5 dias antes dessa promoção, porque tinha vários lugares que pensava em conhecer antes) pra, quando aparecerem promoções, eu consultar. Eu recebi um aviso dessa promoção pelo aplicativo do Melhores Destinos, que é por onde sempre acompanho as passagens. Fui pra Barbados em 2013 numa promoção com milhas, pra Orlando em 2014 por R$ 580,00, pra Cidade do México em fevereiro do ano passado por R$ 717,00, pra Porto Seguro em janeiro por R$ 253,00 e pra Foz do Iguaçu em fevereiro por R$ 289,00, tudo ida e volta de Porto Alegre com todas as taxas, em promoções que vi no Melhores Destinos. Nessa viagem, comprei voos Porto Alegre – Lima, Lima – Cusco, Cusco – Lima e Lima – Porto Alegre (ficando 3 dias em Lima na ida e 1 na volta) por R$ 1.024,41. Eu achava que tinha comprado múltiplos destinos, mas descobri no check in que meu voo era Porto Alegre – Cusco – Porto Alegre com stopover em Lima na ida e conexão longa na volta. Pra ir e voltar de Lima a Huaraz, fui de ônibus da Movil Tours, que foi a única reserva que fiz antes da viagem. Uma semana antes de ir eu comprei as passagens no site da empresa por 55 soles a ida e 49 soles a volta em ônibus executivo. Foram 8h de viagem em cada trecho e a estrada é realmente horrível e cheia de curvas, não consegui dormir nada na ida e muito pouco na volta em razão disso. Dentro das cidades no Peru, a melhor escolha é sempre pegar táxi ou Uber. Em Lima eu chamei o Uber usando o wifi do aeroporto quando cheguei, e saindo de lá já comprei chip de internet, então não tive problemas pra chamar depois. Como o preço dos táxis tem que ser sempre negociado (eles jogam o preço lá em cima, chegando em Cusco os taxistas queriam 25 soles e no fim fechei por 10), eu sempre preferia chamar por aplicativos. (Continua nos comentários)

      A post shared by Bárbara Pedroso (@barbaraapedroso) on

      E esse com os preços totais que gastei com trasporte lá:

      View this post on Instagram

      [CUSTOS TOTAIS DE 12 DIAS NO PERU] Como eu já disse algumas vezes aqui, viajar pro Peru não é tão caro quanto muitos outros destinos internacionais. Frequentemente tem promoção de passagem e hospedagem e alimentação são baratas lá. Eu podia ter gasto mais, já que economizei bastante na alimentação, mas também podia ter gasto menos, já que não abri mão de ficar em quarto privativo nos hostels em que me hospedei. Além do valor dos passeios, na maioria dos lugares é preciso pagar pra entrar nos parques nacionais e atrações. Em Huaraz, custa 30 soles o dia ou 60 soles 3 dias de acesso ao Parque Nacional de Huascarán, onde ficam o Glaciar Pastoruri e a Laguna 69. Em Cusco, precisei comprar o Circuito 3 do Boleto Turístico, que dá direito a visitar Ollantaytambo, Pisac, Moray e Chinchero e custa 70 soles. Pra visitar as salineras de Maras e a Laguna Humantay as taxas são cobradas em dinheiro na entrada e custam 10 soles cada. Não incluí nas contas o que gastei comprando artesanato, mas foi pouco menos de 100 soles. Pra facilitar, já converti todos os valores pra real, usando 1 real = 0,83 soles (média entre a cotação do dólar e do euro, que foram as moedas que mais usei lá). 🔶 Passagens aéreas R$ 1.024,41 🔶 Transporte Ônibus Lima – Huaraz: R$ 66,26 Ônibus Huaraz – Lima: R$ 59,03 Táxi em Huaraz: R$ 4,81 Táxi em Lima: R$ 55,00 Uber em Lima: R$ 84,00 Táxi em Cusco: R$ 20,48 🔶 Alimentação R$ 722,89 🔶 Hospedagem R$ 719,27 🔶 Passeios R$ 716,86 🔶 Acesso às atrações R$ 180,72 🔷 Total R$ 3.653,73

      A post shared by Bárbara Pedroso (@barbaraapedroso) on

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s